terça-feira, 12 de junho de 2012

Vitor Belfort quer abrir igreja na África


Em seu projeto também está a criação de uma escola e de um centro esportivo

Vitor Belfort quer abrir igreja na África
Vitor Belfort lançará ainda este mês o livro “Lições de garra, fé e sucesso – Vitor Belfort” relatando detalhes sobre sua vida e como alcançou o sucesso.
Mas o que move esse atleta não é a fama, mas a fé. Evangélico, Belfort gosta de expressar sua devoção a Deus em tudo, tanto nas lutas como nas entrevistas. E em uma delas declarou que tem o desejo de criar uma escola, um centro de treinamento e uma igreja na África.
“Quero montar, num vilarejo carente da África, uma igreja, uma academia e um colégio”, disse ele em entrevista para Bruno Astuto da revista Época. Ele respondia sobre seus projetos futuros e aproveitou o espaço para dizer que está criando um instituto para usar o esporte como chave de educação, educação esta baseada nos princípios cristãos.
Casado há oito anos com a ex-dançarina Joana Prado, Vitor Belfort tem dividido sua vida entre Rio de Janeiro e Las Vegas, onde mora com a esposa e seus três filhos. Por aqui ele divide seu tempo com as gravações do programa TUF (The Ultimate Fighting) apresentado pela Rede Globo e ainda com a inauguração do centro de treinamento que leva seu nome, localizado na Barra da Tijuca.
Todos os seus fracassos e sucessos estarão escritos no livro que, segundo ele, não é de autoajuda nem religioso, mas motivacional; “Sou cristão, tenho um relacionamento com Deus e não me envergonho disso. Mas o livro também descreve minhas mazelas, de como, por exemplo, aos 13 anos, entrei no mundo das drogas e consegui sair. Quero ajudar a todos a lidar com o fracasso, o sucesso, a fama, o dinheiro, o sofrimento”.
Postado Por Dc. Alair Alcântara
Sem Fronteiras

Um comentário:

  1. DISCRIMINAÇÃO E FALSO DOM DE LÍNGUAS ESTRANHAS
    Se três mais dois são cinco então pela lógica matemática cinco menos três são dois. Dessa mesma forma, por aplicação estendida, em I Cor. 14:2 afirma taxativamente que aquele que fala em línguas estranhas NÃO fala aos homens, e que NENHUM ser humano entende as línguas estranhas. Conclusão: isto é PROVA FATAL, pela lógica matemática, que as línguas faladas no Pentecostes NÃO foram línguas estranhas. Porque as línguas do Pentecostes foram direcionadas EXATAMENTE aos HOMENS. E lá sempre alguém entendeu o IDIOMA HUMANO sem tradutor e sem intérprete, falado diretamente pelo próprio Espírito Santo, usando apenas a boca dos discípulos de Cristo, todos apenas galileus (Atos 2:7), que aliás, já receberam o batismo com o Espírito Santo ANTES do Pentecostes (João 20:22) sem qualquer associação com línguas espirituais. Livre-se de pecar contra o Espírito Santo lendo o blog: www.laurohenchen.blogspot.com

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails